sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007

Introdução

A ideia deste blog surgiu simplesmente porque me apetecia escrever. Escrever sobre a vida, sobre a morte, sobre perguntas existenciais e profundas, perguntas ridículas e impertinentes, episódios, teorias da conspiração (ou na maioria dos casos só mesmo teorias idiotas), opiniões sobre a realidade do mundo em particular ou sobre a realidade da minha vida em geral, enfim, escrever! E também, como já devem ter percebido, fazê-lo de uma forma informal e descontraída, muitas vezes até sem sentido, apenas uma junção feliz (ou talvez não) e aleatória de palavras, começando pela grande pergunta existencial que deu origem ao nome deste blog: "Porque é que o giz é branco?".

Fora do contexto, esta pode parecer uma pergunta inútil e estúpida (ok, eu confesso, dentro do contexto também o é), mas na realidade tem uma história por trás que me faz rir sempre que penso nela. Poderia estar aqui a falar das propriedades químicas do giz, que é carbonato de cálcio por falar nisso (CaCO3, mas se tiver enganado não me processem), e daí dissertar sobre a origem da cor. Poderia também falar dos vários tipos de utilização do giz, desde professores a dar aulas a criancinhas até polícias a marcar o contorno de um corpo no chão do local do crime (que contraste!). Falar inclusivé dos vários tipos de giz: giz de cera, giz de pastel, ou o giz branco em questão. Mas não, este texto resume-se a algo muito mais simples do que isso, resume-se à resposta brilhante que ouvi a esta pergunta.
Contextualizando, isto passou-se já há uns largos anos, ainda no secundário (ui, já lá vão 10 anitos... pronto ok, sou novinho n foram assim tantos), numa aula de filosofia. Sim, de filosofia, aí é que está um dos pontos fulcrais da narrativa que vos apresento, não era uma aula de química (que até se compreenderia), mas de filosofia!!! Uma daquelas aulas cheias de perguntas existenciais sobre a vida e a morte, do estilo "Quem somos? Para onde vamos?". É nessa altura então que surge uma alma perdida (e não, não fui eu), cheia de dúvidas, que se insurge:
- "Oh professora, professora! E porque é que o giz é branco?".
Como devem imaginar, um silêncio sepulcral invade a sala, toda a gente a olhar para o brilhante aluno, a tentar conter as gargalhadas e eis que se ouve a professora, tal qual um espírito libertador do riso, com a reposta:
- "Porque o quadro é preto!".

8 comentários:

ricaforrica disse...

Parabéns!
Que este seja o início de uma grande viagem, onde esta e outras perguntas, aparentemente tão simples e impertinentes, irão encontrar a resposta mais inesperada, constituindo lições de vida inigualáveis... ou não! Nesses casos, terão valido a pena as gargalhadas... :)
Aquele abraço!

Xo disse...

Bem vindo! :)

pelo teor deste primeiro post... fico à espera que nos fales dos assuntos que ficam no entretanto, mais ou menos a meio dos professores a dar aulas as criancinhas e da policia a marcar (a GIZ) um corpo no chão ;)

Já agora... porque é que o quadro é preto? 0:)

Eu disse...

Só tenho uma coisa a dizer:
Quero perguntas com mau feitio!
Tipo:

Pq é que só ha Baci no inverno, não me pode apecer come-los no verão?

Conejito disse...

Oh Xo essa é fácil, então... Porque o giz é branco! Duuuh :D :P
E eu, pah no verão ninguém quer comer chocolates porque engordam, só tu com o teu mau feitio é que queres lá saber. :P
Além disso no verão nem sequer os M&Ms conseguem resistir ao "derreter na mão".
Esclarecidos? :P

3.1415 disse...

Muito a frente puto!

Espero que continues a responder a estas perguntas que assombram a civilização desde sempre!

Grande abraço

Xo disse...

desculpa mas eu concordo com o mau feitio do Eu... que mania, deviam arranjar alguma forma de proteger os chocolates no verão.. nao tem sentido nenhum apetecer chocolate e só haver no formato gelado! :p

Anónimo disse...

E porque é que a sangria com papel é melhor do que a sangria sem papel??

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.